Notícias

Peixe Congelado



Eles ainda não dominam a preferência na mesa nacional, mas a procura por alimentação saudável faz com que não passem mais despercebidos no PDV. Práticos no preparo e com validade longa, atraem cada vez mais consumidores.

O mar, literalmente, está para peixe! Atualmente o Brasil produz aproximadamente 1,25 milhão de toneladas de pescados, sendo 38% cultivados. A atividade gera um PIB pesqueiro de R$ 5 bilhões. Os dados são do MPA (Ministério da Pesca e da Aquicultura), que, em um futuro próximo, aposta no Brasil como um dos maiores produtores mundiais. Se a produção é animadora, o consumo também progride. Segundo a mais recente pesquisa, realizada em 2009 pelo MPA, o consumo de pescados, incluindo os congelados, cresceu 40% no Brasil em 6 anos. A procura foi maior em todas as faixas de renda, e o potencial de crescimento continua enorme.

Segundo a consultora Simone Terra, o peixe congelado faz parte de um mercado que ainda não foi bem explorado pela indústria e pelo varejo aqui no Brasil. “Com a tendência de consumo de alimentos práticos e saudáveis, a venda de peixe tende a crescer cada vez mais”, ressalta Simone.

Diante desse cenário, você está aproveitando a oportunidade de vender mais peixes congelados? Se o produto ainda não deslanchou na sua loja, inspire-se no exemplo de quem já consegue bons resultados.

Com 28 lojas no ABC Paulista e interior do Estado, a Coop elevou em 11% as vendas dos pescados congelados em 2011 – no ano anterior, a alta havia sido de apenas 2,5%. Para isso, investiu em novas câmaras frigoríficas no CD, com capacidade total de 600 toneladas, além de reformular os balcões refrigerados das lojas. “Para este ano, apostamos num crescimento em torno de 25% na categoria”, afirma Emerson Poppi, gerente comercial, sem revelar o índice de vendas obtido em 2012.

Investir em exposições mais atrativas também ajuda a potencializar as vendas. A consultora Simone Terra tem percebido algumas iniciativas desse tipo, ainda que em poucas redes. “O supermercadista precisa buscar a criatividade para tornar a exposição dos peixes congelados mais atraente aos olhos dos consumidores”, resume a especialista.

É o que fez a rede Hortifruti. Em uma das lojas, a consultora observou espaço reservado para a exposição de peixes da Amazônia. “Isso por si só chama a atenção do shopper”, comenta. Já em um pequeno supermercado da Bahia, Simone Terra viu cross merchandising de camarão com posta de badejo, para preparo de uma moqueca cuja receita era disponibilizada. “Degustações também são bem-vindas. Afinal, será que todos sabem qual é o sabor da merluza?”, exemplifica a consultora.

Os fornecedores comemoram o bom momento e vislumbram saltos ainda maiores. Na Copacol, o volume de vendas cresceu 48% em 2012 em relação ao ano anterior. Para 2013, a expectativa é elevar essa porcentagem. “Os supermercados diminuíram o espaço de pescados frescos, em razão dos custos e da validade curta”, justifica Marcelo Pauvels, assessor de comercialização de pescados. Ou seja, é a vez dos peixes congelados.

Práticos, os filés apresentam crescimento maior em relação ao peixe inteiro. Na Costa Sul Pescados, eles já representam 50% das vendas. Otimista com o boom dos congelados, a empresa concluirá ainda neste ano uma câmara frigorífica com capacidade para 3 mil toneladas. “Queremos manter o abastecimento regular nas épocas de alta demanda e ainda estocar itens sazonais o ano todo”, diz Luzaldo Pscheidt, diretor comercial.

A fornecedora Leardini recomenda não ‘esconder’ a seção de peixes no fundo da loja. “É importante realizar gerenciamento por categorias e posicionar a gôndola no meio do fluxo, para influenciar a compra não planejada”, opina Flavia Di Célio, gerente de marketing. Já Alessandra Kushikawa, diretora de operações da Nativ, sugere ampliação do espaço destinado ao produto. Segundo ela, os itens da marca cujas vendas mais crescem são tilápia, pintado e tambaqui. “Está perto o dia em que, em vez de nuggets de frango, as pessoas comprarão nuggets de merluza”, prevê Luis Manglano, gerente de marketing corporativo da Gomes da Costa Alimentos, que comercializa empanados de peixe. Então, prepare seu mix.

INDÚSTRIA E VAREJO VENDEM MAIS

» 48% foi a alta no volume de pescados congelados registrada pela Copacol em 2012 em relação a 2011.

» 11% foi o aumento da participação da categoria nas vendas da Coop em 2011 em comparação com 2010.

» 15% foi o crescimento anual nas vendas da Costa Sul, fornecedora de peixes congelados, nos últimos dois anos.

COMO DESLANCHAR A CATEGORIA

Promova degustações
dos pratos à base de peixe.

Aposte em bons balcões
congelados nas lojas.

Distribua receitas
fáceis com pescados.

Divulgue informações
para o consumidor sobre o produto, como nutrientes e benefícios à saúde.

Analise o fluxo da loja
para posicionar os freezers em locais de maior visibilidade, incentivando a compra por impulso.

Fique de olho nas classes mais baixas
Elas também consomem o produto. Uma dica é apostar na sardinha congelada.

Fonte: Revista Supermercado Moderno